Ceramica

Ramada, fevereiro 2017

 

 

CURSO : TERRA AR FOGO E ÁGUA

nome da formadora: Augusta Gaspar
25 horas – 1 crédito
Registo nº CCPFC/ACC-80938/15

Odivelas. 2016

Beja, Agrupamento de Escolas Mário Beirão, 29, 30 de maio e 5,6 de junho de 2015

 

Objetivos:

O Objetivo essencial deste curso é qualificar os professores no sentido de os habilitar para o ensino das técnicas e da manipulação das possibilidades expressivas da olaria e o objetivo mais geral é o incremento da qualidade e da abrangência do ensino da cerâmica nas nossas escolas.

Os objetivos mais específicos desta ação que vão no sentido dos professores adquirirem um conhecimento suficientemente claro desta área técnica de forma a tirarem partido das suas possibilidades expressivas são as seguintes:

– Entender a cerâmica nas suas várias dimensões, como fenómeno físico-químico, como prática, enquanto meio expressivo, enquanto memória histórica, enquanto presença no nosso quotidiano, etc.;

– Conhecer os materiais e equipamentos relativos à olaria;

– Conhecer os procedimentos técnicos e adquirir experiência prática de olaria;

– Ser capaz de transmitir aos alunos os conhecimentos básicos desta técnica, promovendo experiências gratificantes e motivadoras;

– Fomentar a criação de clubes e de ateliers de cerâmica nas escolas.

Conteúdos:

– Introdução teórica – cerâmica enquanto fenómeno físico-químico;

– Pastas cerâmicas para olaria e a sua preparação;

– Técnicas de realização das peças e o respetivo treino;

– Técnicas de decoração;

– Enfornamento e ciclos de cozedura;

– História da Olaria e das suas diferentes expressões;

– Pedagogias específicas associadas à aprendizagem da olaria.

Atividades:

1- Introdução teórica das caraterísticas das argilas e as diversas técnicas de produção de objetos em cerâmica. Materiais e suas funções.

2- Trabalho prático: Elaboração do paper clay e modelação de um objeto com aplicação de diferentes técnicas. Técnica do decalque com pasta vermelha.

3- A decoração dos objetos: Utilização de vidros; fritas; óxidos; tintas cerâmicas, e óxidos e engobes.

4- Cozedura das peças realizadas.

 

Adelina

para além de aprofundar conhecimentos, porque os que tenho na área precisam de ser amadurecidos, foi também uma partilha de ideias e de boa disposição e convívio.

Bárbara

Esta formação foi convidativa porque para além de ser possível aproveitar materiais, reciclar, é excelente ter como formadora uma pessoas que já conheço como uma mestre nesta arte do barro e técnicas de cerâmica e como excelente no seu trato com terceiros.

Cristina

O que eu achei mais importante neste curso foi o desenvolvimento de conhecimentos sobre a olaria em geral, a prática de algumas técnicas de modelação da argila e principalmente o ambiente descontraído em que decorreram todas as atividades.

…Gostaria que este tipo de cursos continuasse nos próximos anos aqui em Beja e aproveito também para deixar aqui o meu muito obrigado à formadora pela sua dedicação e empenho em todas as atividades.

Eugénia

Tudo o que aprendi ao nível de técnicas e metodologias nesta formação irão contribuir para a melhoria do meu trabalho, assim como o dos meus alunos.

Aprofundei certas técnicas de aplicação de óxidos e vidrados, partilhei as minhas ideias e a minha experiência de cozedura e vidragem com alguns colegas e centrei a minha especial atenção na relação entre a forma da peça e o modo de aplicação do vidrado (pincel ou mergulho). Ainda irei cozer e vidrar as restantes peças, já que temos que concluir a árvore e coloca-la no recinto escolar.

Francisco

Todas as acões de formação são uma mais valia não só a nível profissional mas também a nível pessoal e social e esta, em particular, não poderia deixar de o ser. Através dela, adquiri conhecimentos novos e neste momento sinto que estou melhor preparada para desenvolver atividades, neste âmbito, com os meus alunos, em sala de aula. Além dos conhecimentos e técnicas adquiridos ainda partilhei ideias e sugestões que me enriqueceram. A nível social foi bom trabalhar com este grupo sempre num ambiente de bem estar e alegria. As relações entre os formandos ou entre formandos e formadora foram sempre de boa disposição e camaradagem.

Maria José

Estas formações nos moldes em que esta se desenvolveu, com profissionais da mesma área e formações iniciais afins, são uma enorme mais valia no enriquecimento pessoal e profissional de cada um de nós. Faço uma avaliação da minha prestação extremamente positiva. Fui assídua e pontual, dedicada e participativa, tentando tirar partido de aprendizagens partilhadas num ambiente que considerei informal e amigável.

Mariana